Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2010

A TEATRALIDADE DO HUMANO II - Oi Futuro

Clique na foto para ampliar.

Participação de Daniel Munduruku, Ailton Krenak, e Grupo de Toré Pankararú de SP.

Colegiados de Culturas Indígenas e Culturas Populares fazem reunião em Brasília

Encontro elegerá representantes dos dois segmentos junto ao CNPC
Os novos membros dos Colegiados Setoriais de Culturas Indígenas e Culturas Populares do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), eleitos na etapa setorial da II Conferência Nacional de Cultura, no início de março, fazem sua segunda reunião no Hotel St. Paul, em Brasília, no final deste mês. A reunião do Colegiado de Culturas Populares acontece nos dias 27 e 28 e de Culturas Indígenas nos dias 31 de maio e 1º de junho. Os dois colegiados se reuniram pela primeira vez, em Brasília, nos dia 6 e 7 de abril. Os representantes da sociedade civil dos dois Colegiados discutirão, no próximo encontro, os Planos Setoriais e elegerão o seu representante junto ao Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC). Outro ponto de discussão em comum entre os componentes dos Colegiados Setoriais de Culturas Populares e Culturas Indígenas é a criação do Fundo Setorial da Diversidade e de Planos Nacionais para cada um dos segmentos. Os n…

CONVIDAMOS AO EVENTO: "CONSTRUINDO NOVOS HORIZONTES"

REDE GRUMIN DE MULHERES INDÍGENAS ELIANE POTIGUARA
Fellow da Ashoka     
Observatório da Mulher Indígena
INBRAPI/Inst.Indíg.Bras.Propriedade Intelectual
Membro Fundadora del Enlace Continental de Mujeres Indígenas
Associação Mulheres pela Paz
Comitê Intertribal
http://www.grumin.org.br/ (institucional)
http://www.elianepotiguara.org.br/ (site oficial da escritora)
http://groups.yahoo.com/group/literaturaindigena
DOCUMENTO FINAL I Encontro de Mulheres Indígenas da Bahia
Nós, mulheres indígenas nos reunimos nos dias 08 e 09 de Maio de 2010, na comunidade indígena Tupinambá da Serra do Padeiro no 1º Encontro de Mulheres Indígenas da Bahia e elaboramos este documento como forma de sistematização dos trabalhos realizados durante esses dias. Este encontro teve seu diferencial, já que tratamos de um tema de suma importância, a valorização da participação das mulheres na vida política, social e cultural dos povos indígenas. Nós mulheres mostramos a nossa importância nas atividades que já realizamos e que muitas vezes são invisibilizadas e desvalorizadas e mostramos que queremos mais. Queremos ampliar nossa participação nos espaços do movimento indígena, nas instituições dos governos, enfim em lugares que parecem ser reservados aos homens, mas que nós queremos demonstrar que não. Além disso, percebemos a vantagem de o encontro ter sido feito em uma aldeia indígena, especi…

Indígenas pressionam em Madri por amplos direitos

Os povos indígenas da América reclamam o cumprimento de uma série de direitos que vão além da reivindicação de seu passado e do pedido de reconhecimento de culpas por parte dos países que historicamente os ultrajaram. Assim se depreende do que foi dito por especialistas reunidos em Madri para apresentar o livro “Declaração sobre os direitos dos povos indígenas. Por um mundo intercultural e sustentável”. Um dos palestrantes, o juiz Baltasar Garzón, disse à IPS que o deslocamento forçado de seus locais de origem de comunidades indígenas e a depredação de seus territórios podem ser qualificados como crimes de lesa humanidade e, portanto, sujeitos à legislação internacional. Nessa linha também se pronunciou James Anaya, relator especial da Organização das Nações Unidas sobre a situação dos direitos humanos e as liberdades fundamentais dos indígenas, que afirmou à IPS que os países, além de terem assinado a Declaração, devem cumpri-la e aplicá-la. Para isso os governos devem tomar “medidas …

PONTO DE VISTA

COLIDER 08/05/2010
Estou acompanhando pelos meios de comunicação, internet, emails, telejornais, muitos problemas que estão acontecendo com nós povos indígenas no Brasil inteiro, como nossos parentes UMUTINA foram atacados na sua aldeia pela policia federal, força nacional, li também que um parente cujo assassino que o - matounão foi punido e o delegado responsável pelo caso nem se quer quis ouvir- e tomar providencia que deveria ter tomado- o irmão do parente que foi morto.
Assisti também pela TV a entrevista do presidente da FUNAI sobre manifestação dos nossos parentes KAIGANG E GUARANI o decreto de reestruturação da tal FUNDAÇÃO NACIONAL DO INDIO. Na manifestação os nossos parentes entraram em conflito com os brancos que queriam passar como no dia a dia, no conflito um parente atirou uma pedra em direção ao carro e feriu uma mulher não indígena, mas não foi só isso, um parente também foi atingido por uma bala em sua perna. Esse relato todo eu assistir no jornal, e na entrevista o pre…

Americano aceita devolver sangue de índio Yanomami

Folha de São Paulo, domingo, 09 de maio de 2010

CIÊNCIA

 Proposta do Brasil a cinco centros de pesquisa pode encerrar disputa iniciada em 1967

Livro acusou antropólogos de trocar material biológico por bugigangas; devolução divide opiniões de institutos que ainda detêm ampolas

Dario Lopez-Mills - 22.mar.98/Associated Press


ANDREA MURTA
DE WASHINGTON

Uma proposta de acordo enviada pelo governo brasileiro em março a cinco centros de pesquisa americanos está prestes a resolver uma polêmica mundial que começou há mais de quarenta anos entre geneticistas e antropólogos estrangeiros e índios ianomâmis.
A disputa tem origem em 1967, quando equipes lideradas pelo geneticista James Neel e pelo antropólogo Napoleon Chagnon recolheram milhares de amostras de sangue ianomâmi no Brasil e na Venezuela.
No ano 2000, o jornalista norte-americano Patrick Tierney os acusou em seu livro "Trevas no Eldorado" de, entre outras coisas, "comprar" o sangue com armas e presentes e conduzir …

Reflexão da Darlene Taukane

Amig@s, segue abaixo a resposta que Darlene deu ao artigo de João Pacheco. Aproveitem.
abraços
Ser autêntico ou não ser autêntico, eis a questão!
Quem se habilita a ser o immetro dos povos indigenas? Afinal, merecemos ou não, a medição, a delimitação do selo de garantia da nossa qualidade de ser indígena? Atira a primeira pedra quem se habilta a fazer tudo isso.
Eis a questão.
Ontem mesmo estive participando de uma reunião junto de alguns povos indigenas de MT. E o discurso da maioria dos participantes era de auto afirmação de eram "lideranças de base"  e por isso precisavam ser mais ouvidos do que a minoria de nós, os indios da cidade, com esse discurso enfático e sorrateiro se afirma de que as pessoas indigenas que moram e vivem na cidade, não são pessoas de base e subentende que não são pessoas da aldeia. Entre os povos já existe essa dicussão de liderança de base X liderança do indigena na cidade, infelizmente.
Antes já ouvia muitos dos não indígenas a se r…

NOTA DA COMISSÃO DE ASSUNTOS INDÍGENAS:

A reportagem divulgada pelo último número da revista Veja, provocativamente intitulada "Farra da Antropologia oportunista", acarretou uma ampla e profunda indignação entre os antropólogos, especialmente aqueles que pesquisam e trabalham com temas relacionados aos povos indígenas. Dados quantitativos inteiramente equivocados e fantasiosos (como o de que menos de 10% das terras estariam livres para usos econômicos, pois 90% estariam em mãos de indígenas, quilombolas e unidades ambientais!!!) conjugam-se à sistemática deformação da atuação dos antropólogos em processos administrativos e jurídicos relativos a definição de terras indígenas.

Afirmações como a de que laudos e perícias seriam encomendados pela FUNAI a antropólogos das ONG's e pagos em função do número de indígenas e terras "identificadas" (!) são obviamente falsas e irresponsáveis. As perícias são contratações realizadas pelos juízes visando subsidiar técnica e cientificamente os casos em exame, como qu…

Antropólogo da UFRJ diz que VEJA "fabricou" declaração em reportagem

Redação Portal IMPRENSA
Eduardo Viveiros de Castro, antropólogo e professor do Museu Nacional, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) enviou carta à revista Veja, contestando declaração atribuída a ele pela publicação. Castro diz que matéria publicada na edição desta semana do semanário, intitulada "A farra dos antropólogos oportunistas", inventou declaração sua sobre os índios. Divulgação
Eduardo Viveiros  A reportagem de Veja diz que antropólogos e especialistas em cultura indígena "inventaram o conceito de 'índios ressurgidos" para se beneficiar da delimitação de terras destinadas pelo governo. O texto afirma que a "leniência" com que a Fundação Nacional do Índio (Funai) analisa e classifica  indígenas "permitiu que comunidades espalhadas pelo país se apresentassem como tribos desaparecidas", mantendo vínculo com a cultura e ficando sujeitas a direitos destinados pela União. Para embasar a tese de que grupos se intitulam erradament…
Salve tod@s,
É com alegria que comunico a vocês que minha defesa de tese será no próximo dia 10 de maio, segunda feira, a partir das 14 horas na SALA 116, DO BLOCO B, DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA USP.
O tema é O CARÁTER EDUCATIVO DO MOVIMENTO INDÍGENA BRASILEIRO (1970-1990).
Gostaria de encontrá-lo/as por lá.
A propósito seria muito bom confirmar a presença porque a sala é pequena. Quem tiver certeza de sua presença, por favor me avise.
A Banca será composta por:
GRAÇA GRAÚNA (ufpe)
MARIA DAS DORES OLIVEIRA (indígena Pankararu)
RAFAEL DOS SANTOS (UERJ)
ANTONIO JOAQUIM SEVERINO (USP)
ROSELI FISCHMANN, minha maravilhosa orientadora.

Aguardo todos e todas por lá para fazermos uma grande festa.

abraços--
Xipat Oboré (Tudo de Bom!)
______________
Daniel Munduruku
www.danielmunduruku.com.br
www.danielmunduruku.blogspot.com
Comunico aos amigos e amigas que estarei participando nas mesas de debates e Redes da III JORNADA INTERNACIONAL DE MULHERES ESCRITORAS DE 3 A 9 DE MAIO de 2010 em S. Paulo e em São José do Rio Preto.

Tenho utilizado a expressão literária em forma de livros ,blogs, listas de discussão, sites, participação em dezenas de coletâneas como instrumento de conscientização sobre quem somos como indígenas e nossos direitos Humanos.
Obrigada, Luz e Amor!
Eliane Potiguara