Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2012

"Reflexos da Ancestralidade" mês de Abril na UERJ

Folder reflexos da_ancestralidade

View more presentations from Insituto U`ka.


Amigos, segue o cartaz da Nossa exposição "Reflexos da Ancestralidade" que fica o mês de abril na UERJ.
Foi uma parceria com a UERJ NEArIn/INBRAPI, Instituto C&A, Instituto U'KA - Agradeço A UERJ através do professor RicardoGomes Lima, Bessa e Equipe do Pró-Índio, Acassia e sua equipe de montagem, e aos artistas Uziel Guainê do povo Maraguá - AM e Jaider Esbell Macuxi de Roraima e ao NEArIn pelos livros do acervo que estarão completando esta belíssima exposição que sera aberta ao publico as 19h do dia 02 de abril. Gostaria que os artistas protagonistas estivessem presente, mas infelizmente pela distância não virão, mas sintam-se representados pelo nosso NEArIn. Obrigado por confiarem a mim a produção.
Aos que puderem prestigiar, vamos brindar este momento ímpar! Divulguem e procurem nossos artistas para um bate-papo e outros indígenas talentosos para que o mundo os conheçam!

Cristino Wapichana
C…

Oca di Versos - Awê de Literatura Indígena no Espaço da Leitura

"Conhecimento e Dignidade"

Quem estiver em Roraima no dia 30/03/2012, terá uma boa oportunidade de prestigiar o trabalho do artista indígena Jaider Esbell do Povo Macuxi - RR.
"Conhecimento e Dignidade" é uma inciativa do Núcleo de Escritores e Artistas Indígenas do INBRAPI, Instituto UKA - Casa dos Sabres Ancestrais, Instituto Ecofuturo e UFRR - Universidade Federal de Roraima. Divulguem!





Reflexos da Ancestralidade

Os Guarani costumam dizer que o passado não está ANTES do presente, mas DENTRO do presente. Sabemos que o mundo é movido por inúmeras energias, que estão presentes desde os tempos remotos. Nossos ancestrais aprenderam a usar estas forças ao longo do tempo em vários seguimentos. O tempo deixou suas pegadas e marcas, que hoje carregamos e continuam aqui, conosco. Somos a impressão do reflexo de uma ancestralidade, que nos confiou o legado de um tempo que não termina, que continua em nós, de um espaço que está marcado por esses passos remotos. A morte levou nossos ancestrais para outro plano, mas o tempo preservou parte da história: o canto, a dança, a bebida tradicional e a força que faz do indígena um ser pleno no seu mundo. Reflexos da Ancestralidade revela parte da vida e da cultura indígenas, narradas por vários autores com esta origem em livros que relatam belas histórias e a presença destes povos como sobreviventes num mundo cheio de códigos e condutas contrárias a preservação natu…

O evento Mundo em Movimento será apresentado no Memorial dos Povos Indígenas

Será inaugurado, dia 10 de abril, no Memorial dos Povos Indígenas, em Brasília, o evento Mundo em Movimento: Saberes Tradicionais e Novas Tecnologias. No local, serão apresentadas exposições sobre 55 etnias, incluindo as que integram o Programa de Documentação de Línguas e Culturas Indígenas do Museu do Índio – PROGDOC.As mostras, que poderão ser vistas em diversos espaços do Memorial, vão exibir o universo indígena do Brasil e sua produção artística e cultural, além de uma ampla coletânea de registros audiovisuais. Os saberes e rituais das 55 etnias, serão apresentados de forma lúdica, por meio de objetos, textos, fotos, vídeos, músicas e falas. Entre as curiosidades, o público poderá conferir um corredor sonoro com 14 monitores portáteis e interatividade para escuta de 18 sonoridades – falas e cantos – indígenas.
Entre os vários grupos que serão apresentados no evento, terão destaque os Tikmũ’ũn - também conhecidos como Maxakali (MG) - pela resistência e vitalidade com que preservam…

Aluno da UFSCar é o primeiro índio bolsista de iniciação científica da Fapesp

Luciano Kezo cria livro didático para ensinar língua extinta a crianças de Mato GrossoJuliana Deodoro, especial para o Estadão.edu Luciano Ariobo Kezo, de 22 anos, é umas das poucas pessoas que falam umutina no mundo. Ele aprendeu a língua, considerada extinta pela Unesco, com um ancião da aldeia onde nasceu e cresceu, em Barra do Bugres, no interior de Mato Grosso. Luciano agora estuda Letras na Federal de São Carlos (UFSCar) e quer mudar a realidade de sua tribo: prepara um livro didático para ensinar umutina às crianças de Barra do Bugres. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) apostou na ideia e pela primeira vez financia um projeto realizado por um indígena. Arquivo pessoal Luciano Kezo, aluno de Letras na UFSCar
O estudante trabalha no livro há 8 meses, orientado pela professora Maria Sílvia Martins, especialista em linguística aplicada. “O livro nasceu do interesse coletivo. Ele colabora para mim enquanto estudante e para o meu povo, que poderá ter acesso à…

Organizações divulgam manifesto contra a PEC 215

COMUNICADO À NAÇÃO SOBRE A PEC Nº 215 DE 2000

Está pronta para ser votada na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados uma proposta de alteração da Constituição – PEC nº 215, de 2000. Ela pretende retirar a autonomia e competência da União na demarcação de terras indígenas, na criação de unidades de conservação e no reconhecimento de áreas remanescentes de quilombolas, para estabelecer que o Congresso Nacional deva autorizar previamente todas essas ações exclusivamente de gestão pública, próprias do Poder Executivo.

Num cenário mais otimista, se essa proposta for aprovada dificilmente serão criadas novas áreas de proteção, pois levarão anos e anos para serem analisadas previamente pelo Congresso Nacional, como querem seus defensores. Esta PEC representa um imenso retrocesso na luta dos povos indígenas e dos quilombolas pelo reconhecimento aos seus direitos históricos à terra e à cidadania.

A mudança proposta elimina a possibilidade d…

Contrato de carbono entre empresa irlandesa e índios do Pará gera polêmica

Por US$ 120 milhões, empresa irlandesa compra direitos sobre créditos de carbono dos índios Munduruku, no Pará; contrato investigado pelo Ministério Público valeria por 30 anos. A Funai foi deixada de fora
vídeo promocional da empresa Celestial Green Ventures – “verde celestial”, em português – traz imagens de uma reunião em uma localidade não identificada, na Amazônia. Em meio a fotos, com fundo musical, o irlandês Ciaran Kelly, CEO, explica: “Nós sentamos com a comunidade local, há uma discussão muito aberta, dizemos o que temos que fazer, quais são as suas responsabilidades e as nossas. Se concordamos, prosseguimos”.

O português João Borges de Andrade, chefe de operações no Brasil, aparece em fotos rodeado pela população local. “Eu gosto do contato com essas pessoas, elas são muito gentis e muito amigáveis. É emocionante”.

A Celestial Green atua em um novo setor que se fortalece nos recônditos da Amazônia brasileira: a venda créditos de carbono com base em desmatamento evitado, f…

Relatório da ONU alerta para o impacto da mudança climática na oferta de água e propõe abordagem holística

Planeta Sustentável - 12/03/2012 às 21:00











O destaque do primeiro dia do 6º Fórum Mundial da Água, que acontece em Marselha, foi a apresentação do 4º Relatório do Programa de Avaliação Mundial da Água (WWAP), da ONU. Intitulado “Gerir a Água em Condições de Incerteza e de Risco”, o estudo é uma referência fundamental na elaboração de políticas hídricas, pois é a única avaliação da situação da água em nível planetário. Elaborado por 29 agências da ONU capitaneadas pela UNESCO, com a colaboração de mais de 200 parceiros (ONGs e entidades privadas), o relatório traz um balanço e indica caminhos para as soluções ao problema da escassez da água. Além do contínuo crescimento da demanda por este recurso vital, o documento destaca o impacto da mudança climática no problema da água. Secas consecutivas, inundações, furacões e o aquecimento global são quatro aspectos-chave da mudança climática que têm impacto na questão da água. Os regimes hidrológicos mudaram profundamente nas últimas décadas e po…

Palestras sobre Literatura e Educação indígena serão ministradas em Aquidauana

Dando continuidade as ações do Projeto Vucapanavó, nesta semana Aquidauana recebe as palestras da Professora Doutora Circe Bittencourt e do escritor e doutor Daniel Munduruku. As palestras acontecem no dia 15 de março as 19h na Universidade Católica Dom Bosco e é destinada á educadores, pesquisadores e interessados no tema. Daniel Mundurukué hoje o maior nome da literatura indígena com mais de 40 obras publicadas. Em sua palestra ele falará um pouco sobre a importância da produção literária escrita por indígenas em todo o país. Já Circe Bittencourt é professora aposentada da USP e atualmente leciona na Pontifica Universidade Católica de São Paulo, onde coordena o Projeto Momentos e lugares da Educação Indígena, vinculado ao Observatório da Educação Indígena do MEC. Bittencourt é referência quando se fala em materiais didáticos e história da Educação. Ambos vem até Aquidauana para ampliar os horizontes no contexto da educação, seja a indígena ou a não indígena. O Projeto Vucapanavó é pat…

Senadores defendem criação de Secretaria Nacional dos Povos Indígenas

Comentário DM: Esta tem sido uma reivindicação antiga dos Povos Indígenas brasileiros. Está na hora de o Brasil - com B maiúsculo - assumir de uma vez por todas seu caráter pluriétnico e isso passa pelo tratamento igualitário, democrático e específico de sua população nativa. O desafio de criar algo desse porte enfrentará muitas forças contrárias. Afinal, a defesa do patrimônio cultural, ambiental e social brasileiro é algo que não interessa aos grandes financiadores das milionárias campanhas eleitorais.___________________________________________________

12/03/12, 11:09 OBrasil precisa de uma Secretaria Nacional dos Povos Indígenas, com status de ministério e sustentação política capaz de unificar as ações públicas direcionadas a esse segmento da população brasileira. A posição foi defendida pelos senadores Vicentinho Alves (PR-TO) e Paulo Paim (PT-RS), em debate realizado nesta segunda-feira (12) na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).
Na audiência pública, que…

Empresa irlandesa compra direitos sobre terra indígena à revelia da FUNAI

Contrato teria sido assinado contra a vontade da maioria da população Munduruku

 O vídeo promocional da empresa Celestial Green Ventures – “verde celestial”, em português” – traz imagens de uma reunião em uma localidade não identificada, na Amazônia. Em meio a fotos, com fundo musical, o irlandês Ciaran Kelly, CEO, explica: “Nós sentamos com a comunidade local, há uma discussão muito aberta, dizemos o que temos que fazer, quais são as suas responsabilidades e as nossas. Se concordamos, prosseguimos”.
O português João Borges de Andrade, chefe de operações no Brasil, aparece em fotos rodeado pela população local. “Eu gosto do contato com essas pessoas, elas são muito gentis e muito amigáveis. É emocionante”.
Agência Pública

Reunião entre representantes da Celestial Green Ventures com a população local
A Celestial Green atua em um novo setor que se fortalece nos recônditos da Amazônia brasileira: a venda de créditos de carbono com base em desmatamento evitado, focado nas florest…

Mortes de indígenas corresponde a 25% dos homicídios em Dourados

Maryuska Pavão



Manifestantes levaram faixas com nomes de vítimas da violência - Eliel Oliveira/Diário MS


Aconteceu na manhã desta sexta-feira uma passeata organizada por lideranças indígenas das aldeias de Dourados, reivindicando por mais segurança, denominada “Passeata pela Paz nas Aldeias”.

De acordo com dados da Polícia Civil neste primeiro trimestres do ano já foram registrados 11 mortes de indígenas, o que corresponde a 25% dos homicídios registrados.

Segundo Emerson Machado, coordenador de comunicação do AJI - Ação dos Jovens Indígenas de Dourados, os indígenas estão reivindicam por iluminação nas aldeias, melhorias na saúde e na educação. “Estamos isolados. A maioria dos indígenas na cidade, são jovens, e eles estão se matando, e nem o Ministério Público e nem o governo estão fazendo nada, estão sendo omissos”, afirmou Emerson.

De acordo com informações do MPF uma assessora do Ministério Público atendeu os indígenas e recebeu as reivindicações deles.

Muitas crianças carac…

Ecad quer cobrar direitos autorais de blogueiros

Blog Caligraffiti recebeu um e-mail de cobrança do Ecad por reproduzir vídeos do Youtube e Vimeo 09/03/2012
Igor Ojeda A Rede
Na terça-feira, 28 de fevereiro, os criadores do blog Caligraffiti receberam um e-mail que os deixou surpresos. O remetente era o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), órgão responsável por coletar os pagamentos referentes a direitos autorais e repassá-los aos autores de músicas em todo o país. A mensagem informava aos blogueiros que eles teriam de pagar pelos vídeos do Youtube e Vimeo postados no site.
Blog sobre design, arte, tecnologia e cultura, o Caligraffiti recebe entre 1 mil e 1.500 acessos diários, mas não tem fins comerciais e seus colaboradores não recebem nenhum tipo de salário ou apoio financeiro. Assim mesmo, o Ecad quer cobrar do site R$ 352,59 mensais. Uno de Oliveira, um dos responsáveis pelo conteúdo da página, pediu informações sobre tal cobrança ao próprio Ecad. Recebeu a resposta de que o Caligraffiti havia sido c…