Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2014

Salão vai discutir a formação de leitores

Evento no Rio vai debater temas como a fantasia e o politicamente correto Bia Reis - O Estado de S. Paulo Incentivar a formação de leitores com ênfase na literatura. Essa é a característica que diferencia o Salão FNLIJ do Livro para Crianças e Jovens, cuja 16.ª edição começa nesta quarta, 28, no Rio, dos demais eventos literários do Brasil. Lá, o visitante não encontrará livros de autoajuda, dicionários, religiosos ou para pintar, tão comuns em outras feiras desse porte, apenas obras de literatura ou informativas. Durante doze dias, além de conversar com escritores e ilustradores, os leitores poderão participar de debates, seminários, assistir a performances e a uma série de encontros paralelos.

16 º Seminário FNLIJ Bartolomeu Campos de Queirós – XI ENCONTRO DE ESCRITORES E ARTISTAS INDÍGENAS "LITERATURA INDÍGENA: A BOLA DA VEZ" - Dia 3 de junho

A literatura indígena é tema do segundo dia do Seminário FNLIJ Bartolomeu Campos de Queirós, que acontece nos dias 2 a 4 de junho, durante o 16º Salão Nacional do Livro. 
As inscrições podem ser feitas através do email seminario@fnlij.org.br.
http://www.salaofnlij.org.br/seminario/segundo-dia

XI ENCONTRO DE ESCRITORES E ARTISTAS INDÍGENAS. Tema: LITERATURA INDÍGENA: A BOLA DA VEZ

16 º Seminário FNLIJ Bartolomeu Campos de QueirósDia 3 de junho – Terça-feira: XI Encontro de Escritores e Artistas IndígenasLiteratura Indígena: A Bola da VezA cultura é a alma de um povo. Essa essência pode ser conhecida e reconhecida por diversos meios e manifestações. Para as tradições dos povos indígenas, todo movimento é circular, mas para que se movimente, assim como a bola em um jogo de futebol, precisa de agentes que embora estejam em posições diferentes, são responsáveis uns pelos outros. A literatura escrita pelos indígenas se movimenta no campo literário mostrando a diversidade cultural e a sabedoria dos povos indígenas, falando de uma ancestralidade atualizada, chamando a atenção do mundo para a preservação da diversidade biológica e da educação. A bola da vez é a necessidade de conhecimento que trará mudanças significativas para a qualidade de vida dos brasileiros. No jogo da vida todos são igualmente importantes: a bola precisa ser tocada.

CARAVANA MEKUKADRAJÁ NO COLÉGIO ALBERT SABIN

A caravana segue seu caminho. Depois de passar por Ribeirão Preto fez uma passagem pelo Colégio Alberto Sabin na capital de São Paulo.
Daniel Munduruku e Tiago Hakiy - 22/05
FOTOS

Por que o Brasil não consegue determinar o lugar do indígena na sociedade

Conflitos entre nativos e agricultores no norte do Estado são sintoma de uma ausência de 500 anos de política para os índios no país Fonte: Zero Hora por Letícia Duarte 17/05/2014 | 16h03
Criança do acampamento Butiá, onde residem famílias de caigangues, no norte do Rio Grande do SulFoto: Carlos Macedo / Agencia RBS

MARABÁ LEITORA

Marabá Leitora - Apoio esta idéia. Aposto nesta iniciativa.  Professo minha fé na força da literatura
Parabéns pela iniciativa!

PACTO PELA LEITURA EM MARABÁ

PACTO PELA LEITURA — MARABÁ LEITORA

Registro da participação de Daniel Munduruku no seminário PACTO PELA LEITURA organizado pela SEMED de Marabá durante o lançamento do Projeto Marabá Leitora. Acesse: MARABÁ LEITORA

RODA DE CONVERSA COM CRIANÇAS DA CIDADE DE LUÍS ANTONIO/MG

Registro da passagem de Daniel Munduruku pela cidade mineira de Luís Antonio dentro do projeto da Fundação Vale de apoio ao PNAIC - dia 08/05
Fotos

RODA DE CONVERSA SOBRE LITERATURA INDÍGENA — Periquito - MG

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS PARA CRIANÇAS E RODA DE CONVERSA COM PROFESSORES DO MUNICÍPIO DE PERIQUITO/MG DENTRO DO PROJETO DA FUNDAÇÃO VALE DE APOIO AO PNAIC Álbum de fotos.

RODA DE CONVERSA COM PROFESSORES DE NAQUE

Registro de uma roda de conversa com educadores de Naque/MG dentro do projeto da Fundação Vale de apoio ao PNAIC - Dia 06/05 Confira as fotos