Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Salão do livro de Lages

Neste dia 13 estive em Lages, Santa Catarina, para participar do II Salão do Livro. Foi uma visita rápida por conta da agenda concorrida, mas valeu a pena. O público curtiu bastante a conversa e participou de maneira intensa. Vejam as fotos!!!

Caravana Mekukdradjá na Fábrica de Cultura do Capão Redondo

No dia 10 de abril estive em visita na Fábrica de Cultura do Capão Redondo para um gostoso bate papo sobre literatura. O público era composto por crianças, jovens e por educadores que ouviram atentamente minha apresentação. Foi muito bom!
Seguem as fotos que registraram este lindo momento.

Caravana Mekukradjá na Fábrica de cultura do Jardim São Luís

Seguem as fotos da Caravana na Fábrica de Cultura do Jardim São Luís. Um gostoso bate papo com as crianças da periferia de São Paulo ocorrido no dia 09 de abril.

Caravana Mekukradjá - Literatura Indígena em Movimento

O mês de abril começou com toda força e já estou na estrada procurando difundir a literatura indígena. Vou procurar deixar registradas aqui imagens destas atividades para que meus amigos possam acompanhar essa jornada.
A primeira atividade que realizei foi participar do Abril Indígena em Salvador onde fiz a abertura deste evento que contou com a participação de muitos estudantes indígenas que estudam na Universidade Federal da Bahia. No dia seguinte ministrei uma oficina com estes mesmos estudantes para falar sobre criação literária.
Abaixo o relatório de atividade feito por Vanessa, uma das alunas participantes.
Seguem as fotos

Vamos Brincar de Índio?

O mês de abril traz em seu bojo o fato de lembrar do “índio”, o folclórico e legendário primeiro habitante do Brasil. Em muitas escolas os professores irão dedicar boas horas letivas para inculcar nas crianças ideias preconcebidas a respeito do nativo brasileiro. Talvez se encontre entre eles quem ainda acredite ser o silvícola um ser fora de moda e longe dos padrões econômicos em que vive. Este irá reproduzir antigas falas sobre o atraso tecnológico, a preguiça, o canibalismo e a selvageria. Haverá quem tenha ultrapassado essa visão tacanha e se preocupe em mostrar a outra face da moeda quem sabe até dando voz e vez aos primeiros habitantes. Haverá de tudo, certamente.